© 2017 Identhis Healthcare Intelligenge Solutions

[1] Dados fornecidos pelo Ministério da Saúde

 

[2] PEDROSA, T.M.G., 1999; TRILLA, A., 1994

 

[3] Infect Control Hosp Epidemiol 2006; 27:1088-1095

 

[4] http://www.who.int/gpsc/5may/background/5moments/en/

 

[5] Pittet D, Hugonnet S, Harbarth S, Mourouga P, Sauvan V, Touveneau S, et al. Effectiveness of a hospital-wide programme to improve compliance with hand hygiene. Infection Control Programme. Lancet. 2000 Oct 14;356(9238):1307-12.

 

Grayson ML, Russo PL, Cruickshank M, Bear JL, Gee CA, Hughes CF, et al. Outcomes from the first 2 years of the Australian National Hand Hygiene Initiative. Med J Aust. 2011 Nov 21;195(10):615-9.

 

Ho ML, Seto WH, Wong LC, Wong TY. Effectiveness of multifaceted hand hygiene interventions in long-term care facilities in Hong Kong: a cluster-randomized controlled trial. Infect Control Hosp Epidemiol. 2012 Aug;33(8):761-7.

 

Al-Tawfiq JA, Abed MS, Al-Yami N, Birrer RB. Promoting and sustaining a hospital- wide, multifaceted hand hygiene program resulted in significant reduction in health care- associated infections. Am J Infect Control. 2013 Jun;41(6):482-6.

 

Mestre G, Berbel C, Tortajada P, Alarcia M, Coca R, Gallemi G, et al. "The 3/3 strategy": a successful multifaceted hospital wide hand hygiene intervention based on WHO and continuous quality improvement methodology. PLoS One. 2012;7(10):e47200.

 

Lee AS, Cooper BS, Malhotra-Kumar S, Chalfine A, Daikos GL, Fankhauser C, et al. Comparison of strategies to reduce meticillin-resistant Staphylococcus aureus rates in surgical patients: a controlled multicentre intervention trial. BMJ Open. 2013;3(9):e003126.

 

Grayson ML, Jarvie LJ, Martin R, Johnson PD, Jodoin ME, McMullan C, et al. Significant reductions in methicillin-resistant Staphylococcus aureus bacteraemia and clinical isolates associated with a multisite, hand hygiene culture-change program and subsequent successful statewide roll-out. Med J Aust. 2008 Jun 2;188(11):633-40.

 

Lederer JW, Jr., Best D, Hendrix V. A comprehensive hand hygiene approach to reducing MRSA health care-associated infections. Jt Comm J Qual Patient Saf. 2009 Apr;35(4):180-5.

 

[6]  Barbosa LR. Correlação entre métodos de mensuração de adesão à higienização das mãos em unidade de terapia neonatal. / Correlation between methods of measuring hand hygene compliance in a neonate intensive care unit [thesis]. São Paulo (BR): Faculdade de Saúde Pública da Universidade de São Paulo; 2010.

supervisão eletrônica e compliance de higienização de mãos

E-CONFORMIDADE

01

o compliance de higienização nos momentos 1, 4 e 5 preconizados pela OMS 

02

RASTREANDO VETORES

identificação de potenciais vetores nos casos de infestação e epidemia

03

INTELIGÊNCIA ARTIFICIAL

Big Data Analytics permite identificar padrões e tendências de Infecção

Três passos para implementar a e-Governança na CCIH 

A infecção hospitalar custa vidas! Endêmico, ocorre em 10 a 15% das internações hospitalares no Brasil 1, sendo que unidades de alta complexidade, como a UTI, contribuem com mais de 25% dos casos de infecção hospitalar 2.

Com o surgimento de cepas multirresistentes a antibióticos, ações voltadas ao combate destes eventos foram adotadas. A primeira foi restringir e controlar o acesso a antibióticos de última geração para evitar o desenvolvimento de cepas resistentes 3. A segunda, apoiada pela Organização Mundial de Saúde, foi intensificar a higienização das mãos com álcool gel 4; prática comprovada por meio de vários trabalhos que demonstram a eficácia deste método no controle de infecções por patógenos multirresistentes 5.

O monitoramento da conformidade do uso do álcool gel é feito classicamente por um time de observadores. Com a indisponibilidade de observadores em tempo integral, as ações têm efeito temporário e logo os níveis de infecção voltam a se elevar, perpetuando a presença da infecção na unidade hospitalar. O monitoramento eletrônico da conformidade de higienização apresenta boa correlação com a observação conforme trabalho publicado 6.

 

Diante desta emergência infecciosa, a Identhis desenvolveu o sistema ClearHands, solução patenteada para o monitoramento contínuo do grau de higienização das mãos com álcool gel. A solução visa ao monitoramento permanente de todos os indivíduos circulando dentro do hospital, e é baseada em totens interativos de dispensação de álcool gel e no uso de crachás de identificação de baixo custo.

 

ClearHands adota elementos da ciência do comportamento cognitivo humano para transformar o uso do álcool em uma competição saudável entre os usuários, tornando o sistema intuitivo com uso agradável. Ao atingir níveis elevados de compliance, pontos são acumulados pelos usuários. Os “vencedores” com maiores pontuações são reconhecidos em redes sociais internas, fazendo com que se tornem exemplos a serem seguidos.

 

O totem ClearHands é uma solução versátil e de múltiplos usos, que permite opcionalmente incluir o monitoramento de itens como medicamentos, equipamentos, hemoderivados, entre outros.

Crachá ClearHands

A versão “SC” para centro cirúrgico dispõe do recurso de monitoramento do tempo de higienização das mãos antes das cirurgias. Em combinação com os totens de álcool, garantem a higienização adequada das mãos, evitando a disseminação de patógenos no ambiente controlado.


Os pacientes que estiveram em contato com o vetor identificado são inclusos em um programa de vigilância ativa, antes de ocorrer o evento infeccioso.


ClearHands converte todas as informações referentes aos itens monitorados em gráficos, planilhas e alarmes institucionais, atuando como elemento importante na prevenção da infecção hospitalar, além de ser ferramenta de apoia à e-governança ou e-management.

Faça o download do datasheet do ClearHands em PDF

ClearHands SC

Compliance por Usuário